Banner - Ofertas

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O fim da cdd, cdu, pha, cutter?

Com as mudanças paradigmáticas influenciadas pelas novas tecnologias, a Classificação é um dos fazeres da Ciência da Informação que mais podem sofrer.
Os aportes tecnológicos levam os processos técnicos para novos conceitos de catalogação. Nesse sentido, os recursos digitais (entre eles, os livros eletrônicos), estão mudando as características de se catalogar, indexar e classificar.
A catalogação (ou representação descritiva): Desde as fichas catalográficas (ainda remanescente em alguns processos técnicos), passando pelo formato MARC com a AACR2 (desde a década de 60 e até hoje na informatização da catalogação e recuperação da informação), e chegando no RDA com o modelo FBRB, e na atualidade das novas linguagens de programação (XML, RDF), e formatos (Dublin Core);
A Indexação, desde os tesauros do século XIX, também se reinventando nas ontologias para a Web Semântica e nas folksonomias para as tag clouds.
Mas e a Classificação em códigos? Desde o Pinakes, passando pelas classificações decimais e de autorias, a classificação em códigos basicamente se preocupa com códigos para guarda e recuperação de livros nas estantes. Haverá uma possível reabilitação com o sistema Scorpions da OCLC e LC? Acredito que não. Códigos não são suficientes para se acompanhar o avanço do conhecimento simultaneamente à sua fragmentação.
Em diretórios hierárquicos, onde se representam domínios do conhecimento, a classificação é construída sem códigos. Um conceito ganha significação com a relação com os outros conceitos.
Por falar em diretórios e folksonomias, faz-me pensar que, além, das classificações, os sistemas estruturados e ‘fixos’ das linguagens documentárias também podem estar perto do fim.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Clasificación IFLA


Vista panorámica de la antigua sala de lectura-British Library, Londres

1. División I: Bibliotecas generales de investigación
  • Bibliotecas nacionales.
  • Bibliotecas universitarias y otras bibliotecas generales de investigación.
  • Bibliotecas y servicios de información para parlamentarios.

2. División II: Bibliotecas especializadas
  • Bibliotecas gubernamentales.
  • Bibliotecas de Ciencias Sociales.
  • Bibliotecas de Geografía y Mapas.
  • Bibliotecas de Ciencia y Tecnología.
  • Bibliotecas de Ciencias Biomédicas y de la Salud.
  • Bibliotecas de Arte.
  • Bibliotecas de Genealogía e Historia Local

3. Division III: Bibliotecas que atienden al gran público

  • Bibliotecas públicas.
  • Bibliotecas para discapacitados.
  • Bibliotecas para niños y adolescentes.
  • Bibliotecas escolares y centros de recursos.
  • Bibliotecas para ciegos.
  • Servicios bibliotecarios para poblaciones multiculturales.
  • Bibliotecas metropolitanas.
  • Bibliotecas móviles.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Biblioteca de José Mindlin poderá ser acessada pela internet


Colecionador doou seus livros raros à USP. Um robô "devorador de livros" está escaneando os exemplares. A paixão de um brasileiro por seus livros em breve vai ser compartilhada com todos nós. A Universidade de São Paulo se prepara para receber parte da biblioteca Brasiliana, doada pelo empresário e colecionador José Mindlin.
SAIBA mais sobre a Brasiliana Leia mais sobre Pop e Arte no G1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compre Livros, Computadores, TVs,

Compre Livros, Computadores, TVs,
Melhores Ofertas.

Banner